segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Bibi - #Primavera com flores do Campo

É impossível ver esta florzinha roxa colorindo o gramado sem pensar no dito popular  "o amor é uma flor roxa que nasce no coração dos trouxas". Eu, como brega assumida que sou, não nego que sinto-me um pouco trouxa quando observo as minhas caras diante das pessoas que amo. Acho muito comovente o sorriso de uma criança, a lágrima de um idoso lembrando das suas vivências. Muitas vezes, na maioria das vezes eu me sinto uma pessoa muito dura, minhas atitudes são rígidas e minhas palavras são ríspidas. Não sempre, claro! Mas são. E eu sou uma baita contradição sou dura, ríspida e rígida, mas choro por tudo e por nada. Tenho uma flor roxa no coração e sinto-me honrada e feliz por tê-la.

Esta florzinha das fotografias, em especial, são flores da infância dos meus pais, são parte da história da minha Vó Mália. Eles me contaram que comiam as batatinhas dos bibis. Meu pai disse que comia crua. Minha mãe e minha vó disseram que elas cozinhavam os bibis para comer. A mãe disse que a batatinha tem sabor semelhante ao pinhão.
Minha vó, depois de adulta, jamais comeria tal iguaria. Ela não come carne de caça, tampouco comeria bibi. Galinhas e frangos criados em casa não são comidos por ela. Preás, tatu ou outro animal deste tipo provocam um certo nojo nela.

Mas ela me contou que quando criança comia os bibis.
Ficou muito lindo o nosso jardim com estas flores. Acabei perdendo a oportunidade de deitar-me na grama e tirar uma fotografia em meio aos bibis da infância dos meus familiares. Que nasçam muitos bibis nos nossos jardins e muito mais flores roxas nos nossos corações. Falando nisso... beijo no coração de cada um de vocês!

5 comentários:

Luiz Carlos Vaz disse...

Esses "bibis" - que conheço por "flor de quero-quero", são muito especiais. Nascem de repente, do nada. Além dos azuis, os mais comuns, também existem na cor laranja e branco. Também comia os carocinhos, são deliciosos. Hoje, com essa envenenação dos campos, tenho receio de prová-los outra vez. Essa foi uma bela história/lembrança, Daniele, obrigado.

Anônimo disse...

Aqui em Cachoeira do Sul os bibis são endêmicos tanto no campo como na cidade. Na minha infãncia comia muito só que "assados" em chapa de fogão.Essa informação passei para os filhos e atualmente minha pequena de 5 anos já sabe disso e Juntos retiramos alguns do jardim e comemos.

Marcelaine françois Walhbrinck disse...

Boa Tarde, só para matar a curiosidade de alguns...
o nome científico desta planta é Herbertia lahue.

:)

Léli disse...

Obrigada Marcelaine! :D

Unknown disse...

OLHA ACHO LINDO OS BIBIS E FIZERAM PARTE DA MINHA INFÂNCIA TAMBÉM COMIA OU BULBOS ESCREVO DELES NO MEU LIVRO CORTINAS SEPIA ONDE RELATO MINHA INFÂNCIA. ESCREVE NO GOOGLE POETA BADU QUE VC SABERÁ UM POUCO MAIS DE MINHA HISTORIA
,